Introducing My Dream Self

Cortiano enjoys spending his REM time being hopelessly late to teach a class, usually because he can’t find his books, or his schedule, or the classroom where he should have been teaching 5 minutes ago, and the halls leading to these often infuriatingly unfindable rooms keep shifting around while he’s rushing to them. He can be frequently spotted entering elevators that travel horizontally through buildings or sliding down stairs, which lead nowhere. Yes, he is an artist and a teacher whose shows or classes are right now. He just suddenly realized he is on the dais, in front of a large and sprawling audience and he can’t even write a word on the board, and his memory goes blank and he can’t understand what the students ask him.

He can never find his car after he parks it.

He can never return to a place after he’s left it.

He never remembers to look for the dream box that his daughter Lícia made for him (thanks Daniel Love), but one day (night?) he’ll find it, open it, and discover it contains 🏆 🎉 🎯 📣 👉 📖 📷 😻 🌻 ✈ 🌺 ✄ ⚡ 👇 🌛 ☕ 🎁, etc.

Occasionally, he flies.

Apresentando Meu Eu dos Sonhos

Cortiano gosta de passar seu tempo em REM irremediavelmente atrasado para dar uma aula, geralmente porque não consegue encontrar seus livros, seu horário, ou a sala de aula onde ele deveria estar lecionando há 5 minutos e os corredores que levam a essas salas inencontráveis ficam irritantemente se deslocando enquanto corre em slow motion por eles.

Com muita frequência, ele pode ser visto entrando em elevadores que viajam horizontalmente através de edifícios ou deslizando por escadas que não o levam a lugar nenhum.

Sim, ele é um artista e um professor cujas exposições ou aulas são agora. De repente ele percebe que ele está no tablado em frente de uma grande e espalhada audiência e não consegue escrever uma palavra no quadro, e sua memória dá um branco e não consegue sequer entender o que os alunos lhe perguntam.

Ele nunca consegue encontrar o carro depois de estacionar.

Ele nunca consegue retornar a um lugar de onde acabou de sair.

Ele nunca se lembra de procurar a caixa de sonhos que sua filha Lícia criou para ele (obrigado, Daniel Love), mas um dia (noite?), ele vai encontrá-la, abri-la e descobrir que contém 🏆 🎉 🎯 📣 👉 📖 📷 😻 🌻 ✈ 🌺 ✄ ⚡ 👇 🌛 ☕ 🎁, etc.

Ocasionalmente, ele voa.

(Teu problema? Subconsciente sem imaginação…)

Philosopher - Unimaginative Subconscious 0317

Os ingleses e americanos já têm saudade!

Sem título-1

Definitions for saudade

(in Portuguese folk culture) a deep emotional state of melancholic longing for a person or thing that is absent: the theme of saudade in literature and music.

Citations for saudade

… “The Girl From Ipanema” was a potent distillation of the concept of saudade, a feeling of melancholic nostalgia that characterizes so much Brazilian music. … Longing for the unattainable, and an acute sense of the moment’s slipping away: That’s saudadeStephen Holden, “Brazilian Yearning and Imminent Loss,” New York Times, March 21, 2014

Its name comes from the word saudade, which describes the melancholic nostalgia one feels for people, things, pleasures and times now lost.Antonio Tabucchi, Requiem: A Hallucination, translated by Margaret Jull Costa, 1994

Origin of saudade
Portuguese saudade ultimately derives from Latin sōlitāt-, the stem of sōlitās “loneliness, solitude.” (Latin -l- between vowels is lost in Portuguese; Latin -t- between vowels becomes -d- in Portuguese and Spanish.) The original Old Portuguese form soidade was altered to saudade under the influence of the verb saudar “to salute, greet” (from Latin salūtāre “to keep safe, pay one’s respects”). Saudade entered English in the 20th century.
Definições de saudade

(Na cultura popular portuguesa) um profundo estado emocional de recordação melancólica por uma pessoa ou coisa que está ausente: o tema da saudade na literatura e na música.

Citações para saudade

… “A Garota de Ipanema” foi uma potente destilação do conceito de saudade, um sentimento de melancólica nostalgia que caracteriza tanta música brasileira. … Desejando o inatingível, e um senso agudo do momento está escorregando afastado: Isso é saudade.Stephen Holden, “Anseio brasileiro e perda iminente”, New York Times, 21 de março de 2014

Seu nome vem da palavra saudade, que descreve a nostalgia melancólica que se sente por pessoas, coisas, prazeres e tempos agora perdidos. Altonio Tabucchi, Requiem: A Hallucination, traduzido por Margaret Jull Costa, 1994

Origem de saudade
A saudade portuguesa deriva, em última instância, do latín sōlitāt-, a raiz de sōlitās “solidão, solidão”. (O -l- latino,  entre as vogais, perdeu-se em português, o -t- latino, entre vogais torna-se -d- em português e espanhol. A forma portuguesa soidade foi alterada para saudade sob a influência do verbo saudar “para saudar, cumprimentar” (do latín salūtāre “manter-se seguro, pagar os respeitos”). Saudade entrou no inglês no século XX.