Espherozoa 5/100

For those who think the Espherozoa are sadistic creatures. They are not (only that).

Para os que acham que os Espherozoa são sádicos. Não são (só isso).Espherozoa 5 - 100

Anúncios

Word!

Se pudesses voltar 10, 20 anos ao passado, o que farias diferente?

Eu teria investido mais em ferramentas e na minha formação.

Quando se aprende tudo sozinho, gasta-se muito tempo. Por exemplo, comecei a usar o Word há muitos anos (mais de 30) e só recentemente aprendi alguns recursos de edição e revisão que ele tem, ao começar a revisar traduções e livros.

Se tivesse feito um curso de Word quando comecei, teria economizado horas buscando funcionalidades, fazendo manualmente o que o Word faz automaticamente, etc.

Creio que apenas um exemplo basta: já recebeu um texto todo em maiúsculas e teve que redigitar tudo? Eu já. Muitas vezes, até que um abnegado colega catarina me disse: “Cortiano, tás tolo? Aperte shift F3.”
Gente! Olha só: ESTE TEXTO ESTÁ EM MAIÚSCULAS, seleciona o texto + shift F3 = este texto está em maiúsculas; e se der outro shift F3 = Este Texto Está Em Maiúsculas.

Outro dia estava editando legendas para o filme ‘Beneath the Planet of the Apes’, que ia ser relançado em Mobile TV format. As legendas todas entravam depois que o personagem começava a falar. Se eu já não tivesse sofrido a traumática experiência shiftf3, talvez começasse a diminuir o tempo de entrada de cada uma das 600 legendas manualmente. Instead, o que eu fiz foi ligar para minha mestra Nathalia:
– Nati, dá pra corrigir o tempo de entrada de todas as legendas de uma só vez no Subtitle Workshop?
– Dá sim, Corti. Vai no Edit / Timings / Set delay.
– Muito obrigado, Nati, you’re a lifesaver!

E esta, meus queridos colegas, é a lição de hoje: aprender a usar os instrumentos a nossa disposição. Isso não só economiza (MUITO) tempo como melhora a qualidade final do trabalho.

PS. Para quem quer otimizar o uso do Word, recomendo o artigo Keyboard Shortcuts for Windows and Word for Translators, de Spiros Doikas, www.translatorscafe.com/cafe/article27.htm
Neste inspirado e acessível artigo, o linguista advoga uma estratégia brilhante, a de esquecer o mouse! Não perca.

NB. Word! (or Word Up!) in slang, means, “right”, “correct” or “Well said!”.

Introducing My Dream Self

Cortiano enjoys spending his REM time being hopelessly late to teach a class, usually because he can’t find his books, or his schedule, or the classroom where he should have been teaching 5 minutes ago, and the halls leading to these often infuriatingly unfindable rooms keep shifting around while he’s rushing to them. He can be frequently spotted entering elevators that travel horizontally through buildings or sliding down stairs, which lead nowhere. Yes, he is an artist and a teacher whose shows or classes are right now. He just suddenly realized he is on the dais, in front of a large and sprawling audience and he can’t even write a word on the board, and his memory goes blank and he can’t understand what the students ask him.

He can never find his car after he parks it.

He can never return to a place after he’s left it.

He never remembers to look for the dream box that his daughter Lícia made for him (thanks Daniel Love), but one day (night?) he’ll find it, open it, and discover it contains 🏆 🎉 🎯 📣 👉 📖 📷 😻 🌻 ✈ 🌺 ✄ ⚡ 👇 🌛 ☕ 🎁, etc.

Occasionally, he flies.

Apresentando Meu Eu dos Sonhos

Cortiano gosta de passar seu tempo em REM irremediavelmente atrasado para dar uma aula, geralmente porque não consegue encontrar seus livros, seu horário, ou a sala de aula onde ele deveria estar lecionando há 5 minutos e os corredores que levam a essas salas inencontráveis ficam irritantemente se deslocando enquanto corre em slow motion por eles.

Com muita frequência, ele pode ser visto entrando em elevadores que viajam horizontalmente através de edifícios ou deslizando por escadas que não o levam a lugar nenhum.

Sim, ele é um artista e um professor cujas exposições ou aulas são agora. De repente ele percebe que ele está no tablado em frente de uma grande e espalhada audiência e não consegue escrever uma palavra no quadro, e sua memória dá um branco e não consegue sequer entender o que os alunos lhe perguntam.

Ele nunca consegue encontrar o carro depois de estacionar.

Ele nunca consegue retornar a um lugar de onde acabou de sair.

Ele nunca se lembra de procurar a caixa de sonhos que sua filha Lícia criou para ele (obrigado, Daniel Love), mas um dia (noite?), ele vai encontrá-la, abri-la e descobrir que contém 🏆 🎉 🎯 📣 👉 📖 📷 😻 🌻 ✈ 🌺 ✄ ⚡ 👇 🌛 ☕ 🎁, etc.

Ocasionalmente, ele voa.

(Teu problema? Subconsciente sem imaginação…)

Philosopher - Unimaginative Subconscious 0317